20 dezembro, 2013

Life is a bitch, but one that you can't slap...

Pergunto-me muitas vezes o porquê das coisas acontecerem da maneira que acontecem… ou o porquê das coisas tomarem o rumo que tomam. “É o destino”… é, mas alguém sabe explicar o que é, ao certo, “o destino”? Dizem que ninguém o pode prever e eu acredito que não… mas e se pudéssemos? Se fosse possível prever “o destino”? E se fosse possível prever o rumo que a nossa vida iria tomar? Como seriam as coisas? Como viveríamos? Seríamos mais felizes por sermos capazes de evitar determinadas tragédias mundiais ou até mesmo problemas que futuramente nos magoariam? Eu acho que sim. Mas, por outro lado, não acredito que fossemos capazes de ser tão felizes. Porquê? Porque às vezes há certos momentos que, embora efémeros, nos fazem sentir que somos a pessoa mais contente à face da Terra. E são aqueles momentos por que menos esperamos. Como poderíamos sentir aquela felicidade toda dentro de nós se conseguíssemos antecipar o futuro?
Eu já desejei poder ser capaz de prever e mudar o rumo da minha vida. Mas quem já não pensou nisso? E quem não estará a pensar nisso neste preciso momento enquanto escrevo este texto? A vida é assim mesmo… cheia de mistério, dor e felicidade.
19 dezembro.

6 comentários:

  1. Há alturas em que acho que dava jeito saber o que se vai passar a seguir, mas na maior parte das vezes acho que se soubéssemos perderia todo o encanto. Não éramos tão felizes, íamos deixar de desfrutar das coisas (por mais pequenas que sejam). Passaríamos a viver conformados e sem vontade de arriscar e lutar por algo novo, experimentar novos rumos, porque já sabíamos como as coisas iam acabar, independentemente das nossas escolhas.
    A vida é cheia de muita coisa, que devemos ir descobrindo aos poucos e não de uma vez só

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  2. A vida, por vezes, consegue ser mesmo injusta. Mas não podemos mesmo mudar isso e felizmente é melhor assim, Darmos valor ao que temos de bom ;)
    Bom texto *

    ResponderEliminar
  3. Sim, sim, concordo. Lá no fundo, nem que seja apenas por uma única vez, desejamos saber o que vai acontecer a seguir. Para nos protegermos, para sabermos como havemos de reagir ou, simplesmente, para sabermos com o que contar. Acho que temos mais essa tendência quando vivemos extremos, isto é, quando estamos muito felizes e queremos perceber se a nossa sorte não vai mudar de repente; ou quando vivemos dias mais complicados e queremos um sinal de que as coisas vão melhorar.

    Beijinhos*

    ResponderEliminar
  4. Oh desaparecida -.-
    Querida, no fim deste texto falas de dor.. Filtra essa dor, se te doeres, dói-te por quem merece. O que é a vida sem dor? Lol, não é nada. O sofrimento faz-nos mais fortes, mas é claro que há limites. Vive no presente. Arrisca, de facto. Luta, quebra regras. Faz parte do crescimento do ser humano. Não tenhas medo. De nada.
    E lembra-te, NADA ACONTECE POR ACASO!! Sei o que digo.

    Beijinhoos, Cátia Castro.

    ResponderEliminar
  5. Vou mudar de blog. Vou deixar de publicar no «Parte do que Sou» para me instalar definitivamente n' «As gavetas da minha casa encantada».
    Espero por ti no meu novo porto de abrigo. Estou em:

    http://asgavetasdaminhacasaencantada.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  6. Pois não, baby :)
    Quis-te surpreender quando me visses como tua seguidora :)

    ResponderEliminar

Faz-me sentir que és única(o) pela beleza, pureza e sinceridade das palavras que transmites. Escreve com o coração e deixa-o encaminhar as mãos às teclas certas.