31 dezembro, 2014

Goodbye 2014, Welcome 2015



Posso afirmar com todas as certezas que 2014 foi um ano bastante intenso, uma confusão de emoções. Foi dos melhores anos da minha vida e, ao mesmo tempo, dos piores. Foi um ano de extremos, por assim dizer. Perdi amizades para sempre, vivi sem pessoas que me faziam falta, fui-me abaixo imensas vezes, passei muito tempo sozinha e fui odiada de início ao fim. Desilusões não podiam ter faltado, obviamente, assim como promessas quebradas. Mas, apesar de tudo isto, senti-me a pessoa mais feliz do mundo quando, finalmente, pude riscar “entrar na universidade, num curso que quero” da minha lista de desejos. De todas as coisas boas que aconteceram, esta foi a que mais me marcou. 2014 foi o ano em que voltei a confiar um bocadinho mais nas pessoas. Foi quando aquele aperto no peito desapareceu e me pude sentir livre, pela primeira vez em muito tempo. Foi quando percebi que, por vezes, precisamos de nos afastar de tudo e todos. Foi quando percebi que as saudades sufocam, mas não matam. Foi o ano em que dei tudo de mim e cheguei ao fim mais cansada do que nunca, mas valeu a pena. E, neste momento, não podia estar mais feliz.

Espero que 2015 vos traga as oportunidades que 2014 não trouxe e que seja melhor do que o anterior.
May you all have a happy new year!

6 comentários:

  1. Agarra-te a tudo aquilo que te aconteceu de bom este ano para que possas encarar o novo com muita mais força. Espero que 2015 seja fantástico :)

    Um grande beijinho*

    ResponderEliminar
  2. E que 2015 te tragas mais coisas boas :)

    ResponderEliminar
  3. Espero também que o mesmo aconteça contigo :D

    ResponderEliminar
  4. É bom quando conseguimos dizer uma coisa destas de um ano. Este foi o post de despedida de 2014 que mais gostei de ler no meio de tantos. Talvez porque me fez sentir que afinal o meu ano também teve coisas boas, apesar de tudo me indicar que não! Feliz 2015!

    ResponderEliminar

Faz-me sentir que és única(o) pela beleza, pureza e sinceridade das palavras que transmites. Escreve com o coração e deixa-o encaminhar as mãos às teclas certas.